Empréstimo Ou Financiamento – Descubra Qual A Melhor Opção

0
537
empréstimo ou financiamento
empréstimo ou financiamento

Na hora de buscar um capital, muitas pessoas se perguntam “Empréstimo ou financiamento, qual é o melhor?” Confira essas dicas!

Por vezes precisamos obter uma linha de crédito para realização de um sonho nosso. Seja ele para a comprar da casa ou apartamento próprio, ou até mesmo nosso primeiro carro.

E ao nos voltarmos para o mercado financeiro, somos bombardeados com diversas linhas para obtenção de crédito.

No entanto, é necessário entender suas diferenças, vantagens e desvantagens antes de solicitar uma dessas linhas. Pois, até mesmo entre o empréstimo ou financiamento, existem diferentes modalidades.

Entretanto, ambas você estará solicitando um capital que deverá ser pago acrescidos de juros.

Logo, independentemente se ser feito em uma instituição de crédito ou bancos, você irá pagar o valor solicitado mais juros. Além de eventuais taxas que alteram o CET.

Dessa forma, você irá obter seu bem desejado em um menor tempo. Porém a um valor ainda maior.

Por isso é importante saber sobre cada modalidade antes de assinar qualquer contrato. Então confira nosso artigo, pois hoje iremos dar dicas sobre o assunto.

 

1. Como Funciona Um Empréstimo?

Como Funciona Um Empréstimo

Para você escolher entre empréstimo ou financiamento, é necessário que você entenda como funciona o empréstimo.

Essa é uma linha de crédito muito ampla, que contém diferentes modalidades na hora de obter um capital. Ou seja, destinando-se a diferentes perfis de solicitantes.

Mas o básico que você precisará para obter um empréstimo é:

  • Idade mínima de 18 anos;
  • Possuir CPF ativo e RG;
  • Comprovar sua renda (para a maioria das modalidades);
  • Possuir uma conta bancária.

De acordo com cada instituição financeira ou modalidade de crédito, outros documentos poderão ser exigidos para liberação do seu pedido.

Sendo assim, o empréstimo é uma linha de crédito na qual você irá pegar um capital. Com uma instituição que seja aprovada pelo Banco Central, a prestarem tais serviços.

Geralmente, empréstimos podem ser liberados em até 48 horas e estando disponíveis para negativados, em alguns casos.

Além disso, é preciso entender que quando você pega um capital emprestado, você deverá devolvê-lo. Nesses casos, pagando taxas de juros mensais, IOF ou até mesmo um seguro.

Leia também: Cartão de crédito para negativado e baixo Score. Confira!

Variando assim, seu valor, de acordo com a modalidade do crédito e instituição financeira escolhida.

Para conseguir um empréstimo o ideal é primeiramente fazer uma simulação online, comparando as diversas ofertas no mercado. Depois, ao escolher, você deverá enviar a sua documentação.

Desse modo, você irá passar por uma análise de crédito e então, a eventual liberação do capital solicitado.

Mas não para somente aí, é preciso que você também saiba quais as opções de empréstimo. E aquela que melhor vai se adequar a sua situação financeira, existindo então:

Empréstimo Pessoal e Consignado

  • Pessoal: é o tipo de empréstimo mais tradicional. Nele você apenas precisa ir até um banco ou corretora e solicitar um crédito, passando então por uma análise. No entanto, sua obtenção pode ser mais complicada pois, em alguns casos, pode ser necessário informar o destino do crédito. Ou seja, se você não possuir uma boa renda comprovada e nem um motivo bom para seu empréstimo. Seu pedido poderá ser negado.
  • Consignado: essa modalidade de empréstimo é feita com débito automático em conta. Sendo assim, destinada a servidores públicos, aposentados e pensionistas do INSS. Como o pagamento do empréstimo é feito por débito, há então um menor risco de inadimplência. Não sendo assim, necessário comprovar sua renda. Se você quer saber mais sobre, basta clicar aqui.

Além dessas duas formas de empréstimo convencionais, existem ainda o Penhor, o Refinanciamento, O P2P, entres outras modalidades.

 

2. Como Funciona Um Financiamento?

Como Funciona Um Financiamento

 

Afim de escolher entre empréstimo ou financiamento, agora iremos falar mais sobre esse segundo método.

Os tipos de financiamento mais procurados pelos brasileiros são: o imobiliário e o de veículos. Se tornando então popular pois, facilita a aquisição de bens de valores elevados.

Para obter um financiamento, é necessário que haja um fim específico ao uso desse capital.

Sendo assim, eles são classificados por tipos de financiamentos específicos, facilitando suas operações. Ou seja, se você deseja financiar um imóvel, você procurar instituições que façam esse tipo específico de financiamento.

Além disso, no financiamento é comum suas taxas de juros serem menores. Ao passo em que seus prazos para pagamento serão maiores.

Isso porque, aqui temos o papel da alienação fiduciária. Que é quando um bem contraído fica alienado como garantia, à instituição do empréstimo.  Fornecendo assim, uma maior segurança do pagamento.

Uma vez que, até que a dívida seja quitada, o comprador ainda não será o proprietário do bem.

Ou seja, durante esse período, não será possível trocar ou vender o bem. Todavia, desde o momento da contratação do financiamento, o solicitando já poderá usufruir deste bem.

Outro fator que está relacionado aos financiamentos, é a hipoteca. No entanto, não tão comum no Brasil como é em alguns países.

Isso significa que quando o bem será seu, no entanto utilizado como forma de garantia do crédito. Sendo assim, se você não for capaz de pagar pelo financiamento, o determinado bem se tornará propriedade da instituição do crédito.

Podendo assim, ir a leilão para que a instituição não “perca” o seu capital investido.

Leia também: Emprestimo Para Negativado Autônomo – Como Conseguir Um

Quanto aos juros, o financiamento é repleto de taxas como de administração e de seguro. Bem como, os indexadores de correção das parcelas, que podem gerar impactos significativos.

  2.1 Calculando Suas Parcelas

Para o financiamento, é comum que as prestações não ultrapassem um valor de 30% da renda do solicitante. Possuindo também, um sistema de amortização que define quanto da dívida já foi quitado. Abaixo citamos dois dos exemplos mais comuns desse sistema:

  • SAC: o Sistema de Amortização Constante, é um redutor de parcela anual. Muito comum para os financiamentos imobiliários de longo prazo.
  • Tabela Price: tende assim, prestações com valores constantes. Utilizada principalmente para financiar veículos ou outras modalidades a médios prazos.

 

3. Empréstimo Ou Financiamento: Diferenças

Empréstimo Ou Financiamento Diferenças

Agora que já falamos um pouco sobre cada linha de crédito. Explicaremos então, as diferenças para que você possa escolher entre empréstimo ou financiamento.

Ou seja, algumas das principais diferenças que podemos notar claramente, é a especificação do uso do capital.

Para financiamentos, o fim deve ser especificado a fim de então encontrar sua modalidade específica do crédito. Que são assim, destinadas a aquisição de algum tipo de bem de valor.

Sendo assim, a compra de imóveis, automóveis, terrenos, de cunho estudantil, entre outros. Ou até mesmo para financiar a construção do imóvel em si.

Já no caso dos empréstimos, nem sempre será necessário fornecer informações sobre seu uso. Desse modo, o acordo juntamente a instituição escolhida, estará mais direcionado as suas garantias.

Ou seja, na hora de solicitar o crédito você precisará fornecer informações pessoais e sobre como irá realizar o pagamento do empréstimo.

Além disso, ao contrário dos financiamentos, o empréstimo possui uma menor burocracia em sua obtenção. Fornecendo assim, maior flexibilidade para negociar as taxas de juros.

Todavia, apenas mediante uma boa comprovação das suas garantias relativas ao pagamento.

Desse modo, a aprovação de um empréstimo é muito mais fácil que a de um financiamento. Afinal uma possui mais burocracia do que a outra para sua obtenção.

Outra característica importante para escolher entre empréstimo ou financiamento, é justamente em relação as garantias. E suas consequências em casos de inadimplências.

 

4. Taxas De Juros E Crédito

Taxas De Juros E Crédito

Vejamos agora, outras diferenças importantes que você deve avaliar antes de escolher um empréstimo ou financiamento.

  4.1 Taxas de Juros

A principal ferramenta de análise para um consumidor na hora de contratar qualquer linha de crédito no mercado.

Os empréstimos são caracterizados por um contrato entre instituição financeira e pessoa física (na maioria dos casos). No qual, um determinado valor será solicitado.

Sendo assim, pago posteriormente com um acréscimo de juros, que será varia de acordo com cada instituição.

No caso do empréstimo pessoal, por exemplo, suas taxas são uma das mais elevadas no mercado. Devido a um maior risco de inadimplência, gerando insegurança ao banco.

Já no financiamento, suas taxas serão menores, uma vez que sua finalidade é previamente especificada.

Bem como, pelo risco de perda do bem que será adquirido, em caso de falta de pagamento deste. Ou seja, no empréstimo sua dívida continuará crescendo, enquanto que no financiamento você perderá seu bem.

  4.2 Concessão do Crédito

Em ambos os casos, o valor a ser concedido será determinado de acordo com uma análise de crédito e risco.

Para empréstimos, o perfil do cliente será analisado de acordo com sua renda e capacidade de pagamento. Bem como, verificação do CPF juntamente aos órgãos de restrição ao crédito.

Enquanto que no financiamento, os valores costumam ser maiores. Sendo liberado somente após uma análise ainda mais rigorosa.

Logo, é comum que sejam exigidos documentos relativos ao bem escolhido, e documentos diferenciados. Tais como, certidão negativa de débito federal, para casos de cônjuges, sendo necessária de ambos. Assim como, um balanço patrimonial.

 

5. Finalidade E Consequências

Finalidade E Consequências - empréstimo ou financiamento

Fazendo então, outros comparativos, iremos analisar outros fatores de peso na escolha entre empréstimo ou financiamento.

Como dito anteriormente, um empréstimo não costuma exigir uma especificação da finalidade de seu uso. Sendo assim, possível usá-lo para fins diversos do consumidor.

Podendo ser para compras de materiais estudantis, pagamento de dívidas ou para eventuais despesas médicas.

Por isso, sua burocracia é menor, pois geralmente são usos que necessitam de menores valores para sua aquisição. Todavia, o financiamento exige informações prévias de sua utilização.

Isso porque, geralmente o uso é destinado para aquisição de bens de valor.

Sendo assim, as consequências da inadimplência de uma modalidade são maiores do que a outra. Em casos de empréstimo, você estará comprometido com as parcelas deste.

Leia também: Empréstimo Universitário Santander – Descubra Suas Opções

E na maioria dos casos, a instituição tem garantias mais vagos de seu pagamento. Ou seja, os juros serão elevados para segurança dessas.

Logo, se você não conseguir pagar suas parcelas, você irá acumular uma dívida que continua a crescer até que o pagamento seja realizado. Bem como, seu CPF será cadastrado nos órgãos de restrição ao crédito.

Caso, você pretenda adquirir um bem de valor com empréstimo, este não será então retomado.

Por outro lado, no financiamento em casos da falta de pagamento, o bem adquirido é tomado. Uma vez que, estes são utilizados como forma de garantia em sua própria aquisição.

 

6. Empréstimo ou Financiamento: Cuidados

Empréstimo ou Financiamento Cuidados

  6.1 Empréstimos

Pesquise as modalidades disponíveis e compare as taxas de juros para cada uma. Além disso, é necessário verificar as condições de pagamento que as instituições fornecem.

Fique atento a quem oferece intermédios para agilizar um empréstimo. Pois, isso é comum em golpes e empresas falsas.

Bem como, nunca fornecer as informações de seus cartões. Então pesquise se a instituição está regularizada e aprovada pelo Banco Central, para realização desses serviços.

Ademais, é necessário fazer um planejamento orçamental, verificando se você terá condições de pagar pelas parcelas do crédito fornecido.

  6.2 Financiamentos

No caso dos financiamentos, é importante se atentar também as suas taxas. Assim como, a credibilidade da instituição escolhida.

Mas, outros fatores deverão ser analisados antes de assinar qualquer contrato, então esteja atento a:

  • Taxas de juros abusivas, em desacordo com as leis. Pois, nessa modalidade suas taxas costumam ser menores;
  • De acordo com a variação salarial do solicitante, o reajuste das parcelas deverá possuir compatibilidade;
  • Só será aplicado uma cobrança de plano do coeficiente salarial, se houver previsão em contrato;
  • Para financiamentos imobiliários, é obrigatória a contratação de um seguro;
  • Taxa de juros máxima de 12% em contratos imobiliários feitos por instituições financeiras ou bancárias.

Ou seja, caso uma desses fatores esteja em desacordo, é possível que você esteja sofrendo algum tipo de fraude. Ou sendo injustiçado, podendo então, recorrer à justiça.

 

7. Conclusão

Como Funciona Um Empréstimo dicas

Portanto, na hora de escolher entre empréstimo ou financiamento, você deverá analisar bem qual sua intenção de uso.

Uma vez que, caso você não deseje adquirir um bem de valor, o empréstimo é sua única opção. Do contrário, você poderá então optar por uma dessas duas modalidades.

Levando assim, em consideração sua renda e capacidade de pagar pelas taxas de juros de cada uma.

Bem como, as consequências de inadimplência em cada um dos casos. Pois, para empréstimos você poderá acabar contraindo uma dívida em forma de bola de neve.

Enquanto que no financiamento, o bem que você deseja adquirir, será tomado e possivelmente ir a leilão.

8. Bônus

8.1 Assista um vídeo explicando sobre: Empréstimo Ou Financiamento do canal Juros Baixos

 

Se ainda possui alguma dúvida sobre esse assunto? Deixe seu comentário e compartilhe nosso artigo para que mais pessoas se beneficiem dessas informações.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here